Rev. Valcimei de Oliveira Ferreira

Simão, Simão, eis que Satanás vos reclamou para vos peneirar como trigo! Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé nã desfaleça; tu, pois, quando te converteres fortalece os teus irmãos (Lc 22:31-32)

Nesta passagem, o discípulo Simão Pedro seguramente está vivendo uma de suas mais fortes experiências cristãs. Esses versículos se seguem a uma discussão entre os discípulos sobre qual deles seria o maior ou o menor, ou com maior importância, e Pedro está entre eles. Ao olharmos para a vida de Pedro, podemos vê-lo como um líder nato, um pescador, uma pessoa rude, com temperamento forte, impetuoso, que provavelmente resolvia as coisas a seu modo, independente. Seguia a Jesus, tinha fé, mas estava para ser “testado, peneirado”, bem como os outros discípulos, em sua fé.

Jesus certamente reconhece o potencial de Simão, de modo que intercede por sua fé ao Pai, e ao mesmo tempo exorta-o a que atente para sua espiritualidade de modo que venha a entender o real significado de seguir a Jesus, como seu discípulo, e termina o versículo recomendando que Pedro fortaleça aos seus irmãos após sua conversão, orientando-os para o chamado que Deus tinha para suas vidas. Podemos destacar, então, três condições para que o discipulado genuíno ocorra em nossas vidas:

 

Em primeiro lugar, PARA QUE HAJA DISCIPULADO, NOSSA FÉ PRECISA SER PROVADA.

Jesus conhecia a Pedro e sabia que muito do que Pedro fazia estava baseado em sua própria confiança, em sua própria força e na sua própria capacidade. Podemos constatar esse fato no v.33, quando Pedro afirma precipitadamente que estava pronto a seguir a Jesus, mesmo até à morte. Era necessário que as convicções de Pedro fossem confrontadas e que seu orgulho e autossuficiência fossem quebrados, para que a soberania e vontade de Deus em sua vida fossem manifestos.

Tg 1.2-4, nos diz: … tendes por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança… que deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. Essa é uma condição essencial para que hoje nós vivamos o discipulado – precisamos ser provados para termos dependência total de Deus através de Jesus Cristo, não confiando em nossas próprias forças. Quando confiamos em nós mesmos, estamos a ponto de cairmos e de negarmos a Jesus, conforme ocorreu com Pedro, logo após (v. 57). João Calvino escreveu:“Nossa fé é provada real e verdadeiramente apenas quando estamos em conflitos muito difíceis, quando o próprio inferno parece estar aberto para nos engolir”.

 

Segundo, PARA QUE HAJA DISCIPULADO, PRECISAMOS DE UMA CONVERSÃO GENUÍNA À VONTADE DE DEUS.

A exemplo de Pedro, o que Jesus nos pede hoje é que haja uma conversão de nossa parte para o centro da vontade de Deus em nossas vidas. Devemos parar de enganar a nós mesmos crendo que podemos ajudar a Deus em nossas conquistas. Devemos abrir mão de nossas vontades, vícios, enganos e nos submeter ao agir de Deus em nós e através de nós. Pedro só se tornou um exemplo fiel de Jesus quando se humilhou, se arrependeu e se rendeu à soberania de Deus em sua vida (João 21.15-17).

 

Em terceiro lugar, PARA QUE HAJA DISCIPULADO É NECESSÁRIO FORTALECIMENTO AOS IRMÃOS.

Não há discipulado sem o compromisso com o outro. Jesus recomenda a Pedro: Fortalece os teus irmãos – fala, edifica, exorta, ama, ande com eles… Numa vida de discipulado não estamos sozinhos, precisamos do outro. É como um braseiro, se tiver uma única brasa, ela se apaga. É como um corpo – é impossível dividir os membros e permanecer como um corpo. Mesmo quando temos necessidades que consideramos inalcançáveis, quando estamos unidos, em comunhão e fortalecendo uns aos outros, agora rendidos ao poder de Deus em nossas vidas, alcançaremos vitória, pois Ele é vitorioso por nós.

Quando olhamos para a vida de Simão Pedro e para essa situação pela qual ele passou e foi confrontado por Jesus, entendemos que não pode haver um verdadeiro discipulado sem uma fé arraigada e alicerçada na vontade de Deus, sem passarmos por um processo de conversão verdadeira e sem que haja compromisso de vida entre os irmãos. Somos fracos em nós mesmos, mas a nossa força deve estar colocada no Senhor Jesus. É Nele que alcançamos vitória. Por isso, para que possamos ver a igreja crescendo, milagres acontecendo e vidas sendo impactadas por Jesus, precisamos dispor-nos a discipular, andar juntos, caminhar e edificar outras pessoas através de uma fé vivida de maneira real, provada e aprovada, tendo compromisso com Deus e com os irmãos. Que o Senhor nos fortaleça e gere em nós essa fé para viver esse caminho de discipulado.

Igreja presbiterianaPowered by Rock Convert

5 Comentários

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário