Pastorais

O DEUS QUE ABRE PORTAS

 

Colossenses 4.2-4.

Paulo pede aos irmãos que orem por ele, a fim de que Deus possa abrir portas para a pregação do evangelho. Suplicai, ao mesmo tempo, também por nós, para que Deus nos abra porta à palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual também estou algemado; para que eu o manifeste, como devo fazer (Cl 4.3-4). Este conceito de abrir portas está presente em toda a bíblia, reforçando a ideia de que temos um Deus que nos oferece soluções, principalmente, nos momentos mais difíceis da vida. O Deus da bíblia é o Deus que abre portas. Ele cria acessos, franqueia oportunidades e abre portas de emergências.

 

Deus abre a porta dos céus.

Deus abriu a porta dos céus para que o homem pudesse chegar a Ele. Jacó sonhou: “E eis posta na terra uma escada cujo topo atingia o céu; e os anjos de Deus subiam e desciam por ela” (Gn 28.12). “Despertando Jacó do seu sono declarou: Ņa verdade o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia. E, temendo, disse: Quão temível é este lugar! É a casa de Deus, a porta dos céus” (Gn 28.16-17). Esta porta aberta nos céus é um tipo de Jesus. Ele é a porta que Deus abriu para que entrássemos à sua presença. Jesus disse a Natanael: “Em verdade, em verdade vos digo que vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem” (Jo 1.51). Jesus é a porta que nos dá acesso à vida eterna, o caminho que nos leva a Deus. “Disse Jesus: Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá e achará pastagem” (Jo 10.9).

 

Deus abre a porta dos corações.

Cada pessoa tem uma porta espiritual de entrada. A palavra de Deus quando pregada é dirigida e captada pela mente, trabalha com as emoções e afeta a vontade ou volição. Deus é quem abre a porta dos corações dos incrédulos para que eles recebam a salvação. Foi o que aconteceu com Lídia. “Certa mulher chamada Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de Púrpura, temente a Deus, nos escutava; o Senhor lhe abriu o coração para atender às cousas que Paulo dizia” (At 16.14). A expressão “o Senhor lhe abriu o coração” indica que Deus arrebentou as fechaduras da incredulidade e as trancas da morte espiritual, trazendo-lhe vida (At 11.18; 2Co 4.6).

 

Como Deus abre a porta dos corações? Deus abre a porta do coração dos incrédulos no momento da conversão, por meio da ação soberana do Espírito Santo. Ele é quem produz a regeneração e o novo nascimento. Ele tira o coração de pedra e coloca um coração de carne (Ez 36.26-27; Jo 3.1-8; Tt 3.4-7).

 

Deus abre a porta das prisões.

Sempre que o povo de Deus foi perseguido, com prisões e encarceramentos, o Senhor providenciou libertação e abriu grades. O livro de Atos registra alguns exemplos.

 

O primeiro exemplo está registrado em Atos 5.17-32. Os saduceus, movidos pela inveja, prenderam os apóstolos em uma cadeia pública. Deus, porém, os libertou: “Mas, de noite, um anjo do Senhor abriu as portas do cárcere e, conduzindo-os para fora, lhes disse: Ide e, apresentando-vos no templo, dizei ao povo todas as palavras desta Vida” (At 5.19-20).

 

O segundo exemplo encontra-se em Atos 12. Herodes resolveu prender e maltratar os líderes da igreja. Ele matou a Tiago e mantinha Pedro na prisão com o objetivo também de lhe matar. Deus envia um anjo para libertar Pedro da prisão e da morte: “Depois de terem passado a primeira e a segunda sentinela, chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade, o qual se lhes abriu automaticamente; e, saindo, enveredaram por uma rua, e logo adiante o anjo se apartou dele” (At 12.10).

 

O terceiro exemplo aparece em Atos 16. Paulo e Silas foram açoitados e presos injustamente, por pregarem o evangelho em Filipos. Na cadeia, com os pés presos ao tronco, eles oravam e cantavam louvores a Deus. “De repente, sobreveio tamanho terremoto, que sacudiu os alicerces da prisão; abriram-se todas as portas, e soltaram-se as cadeias de todos” (At 16.26).

 

Estes três exemplos revelam que o nosso Deus liberta o seu povo de todas as prisões e cadeias, que tentam impedir o avanço do evangelho e da pregação da Palavra. Ninguém segura ou prende o servo de Deus, em missão.

 

Concluímos dizendo que o mesmo Deus que abre portas é o mesmo que fecha. “Ao anjo da igreja em Filadélfia escreve: estas cousas diz o santo, o verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi, que abre e ninguém fechará, e fecha, e ninguém abrirá. Conheço as tuas obras – eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar” (Ap 3.7-8). A porta que Deus abre ninguém fecha e a porta que ele fecha ninguém abre. Creia nisto!

 

Rev. Arival Dias Casimiro