Pastorais

“Então, Pedro e os demais apóstolos afirmaram: antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (Atos 5.29).

 

Deus ordena a sua igreja que pregue o evangelho e faça discípulos para Jesus, em todas as nações da terra. A Igreja Presbiteriana de Pinheiros, sob a liderança da sua Junta Missionária, procura obedecer essa ordem dada por Deus. Nossa visão é ser uma grande igreja missionária, ganhando o maior número possível de almas e plantando o máximo de igrejas locais. Isso não é uma moda, uma opção, mas um ato de obediência. A evidência do conhecimento de Deus é a obediência a ele. A prova do amor a Deus é a obediência. Cristianismo é obediência.

 

As autoridades judaicas ordenaram aos apóstolos que não pregassem o evangelho. “Então, Pedro e os demais apóstolos afirmaram: antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (Atos 5.29). Em outras palavras, a nossa única opção é obedecer a Deus, pregando o evangelho e realizando a obra missionária, em meio às ameaças e perseguições. Alguns motivos para obediência missionária:

 

Primeiro, a obediência gera crescimento.

Quanto mais os apóstolos obedeciam à ordem divina de pregar, mais frutos Deus produzia. “E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor” (At 5.14). Thomas Brooks diz: “Obedecendo às ordens de Cristo, você ganhará mais do que pode dar”.

 

Segundo, a obediência gera alegria.

Quem obedece à ordem missionária sofre perseguição e passa por sofrimentos. Só que o crente perseguido experimenta uma alegria celestial. “Chamando os apóstolos, açoitaram-nos e, ordenando-lhes que não falassem em o nome de Jesus, os soltaram. E eles se retiraram do sinédrio regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse nome. E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo” (At 5.40-42). Há uma alegria indizível que experimentamos na realização da obra missionária. Alegria é sinônimo de missões. Um cristão que evangeliza é feliz. Uma igreja que obedece à ordem missionária é muito feliz. R. C. Sproul diz: “O engano fundamental de Satanás é a mentira de que obediência jamais traz felicidade”. Concordo plenamente com Matthew Henry que diz: “Alegria santa é o óleo para as engrenagens de nossa obediência”.

 

Terceiro, a obediência motiva-nos a obedecer muito mais.

A recompensa do pecado é mais pecado, e a recompensa da obediência é o poder para obedecer novamente. E esse poder nos é dado pelo Espírito Santo. “Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus” (At 4.31). Aquele que obedece sinceramente recebe o poder de Deus para obedecer totalmente.

 

Nesse dia de colheita espiritual, alegramo-nos como igreja que procura obedecer ao mandamento missionário de Jesus. Claro, obedecemos por amor, pois a obediência a Deus é a prova mais infalível de um amor sincero e supremo por ele. A inteligência pode esperar, mas a obediência por amor, não. Oswald Chambers diz: “A regra áurea para entender as coisas espirituais não é inteligência, mas, sim, obediência”. A Deus, toda glória!

 

Rev. Arival Dias Casimiro

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário