Pastorais

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Isaías 9.6).

 

Dar e receber presentes simboliza a celebração de uma nova fase da vida. Você presenteia a criança recém-nascida, dando boas-vindas à nova vida; presenteia aos noivos que se casam, celebrando o começo de uma próspera relação de amor; presenteia o aniversariante do dia para celebrar um ano novo de vida. O presente simboliza o começo de um tempo novo e de uma vida nova. Por isso trocamos presentes no natal e no fim do ano.

 

Quem inventou essa prática de dar presentes foi Deus. Ele nos presenteou com o universo criado, com a vida, a família e o trabalho. Mas, o maior presente que recebemos de Deus é Jesus Cristo. O profeta Isaías declara: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu”. Esse presente marca o começo de uma nova história que está dividida em antes e depois dele. É o início de uma nova aliança, uma vida nova, uma nova forma de relacionar uns com os outros e uma nova forma de adorar e servir a Deus. Jesus é o presente divino que nos foi dado dos céus.

 

Primeiro, Jesus é o presente que necessitamos.

 

Há muitos presentes que damos e recebemos que não servem para nada. Às vezes recebemos de presente coisas que já temos e não precisamos. Jesus, porém, é o presente necessário. Precisamos dele porque estamos perdidos, condenados e tristes. Receber Jesus como presente de Deus é receber salvação, perdão e alegria. “E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1Jo 5.11-12). Precisamos desesperadamente dele e sem ele estamos condenados para sempre.

 

Segundo, Jesus é o presente que funciona.

 

Há muitos presentes que recebemos que não funcionam e precisam ser trocados. Após o dia de natal, muitos vão às lojas para trocar os seus presentes. Jesus, porém, é o presente necessário, perfeito e funcional. É impossível recebê-lo e abrir mão dele. “Então, perguntou Jesus aos doze: Porventura, quereis também vós outros retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras da vida eterna; e nós temos crido e conhecido que tu és o Santo de Deus” (João 6.67-69). É impossível ter Jesus e abrir mão dele. Quem o conhece sabe como ele é útil e insubstituível. Ele é tudo para nós.

 

Terceiro, Jesus é o presente imerecido.

 

Damos presentes como forma de agradecimento a pessoas que nos ajudaram. Jesus, porém, é um presente de amor. O que merecemos de Deus é o seu castigo e a sua punição pelo fato de sermos pecadores. O salário do pecado é a morte. Mas, Deus nos deu a Jesus por causa do seu amor: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16). Quem compra um presente oferece não apenas o objeto, mas também seu tempo, dedicação, atenção e amor. Deus se ofereceu a si mesmo, por nós, na maior demonstração de amor que existe.

 

Quarto, Jesus é o presente que dura para sempre.

 

Todo presente humano é transitório e tem o seu prazo limitado; presentes que quebram, se danificam e podem ser furtados. Jesus, porém, é diferente. Ele é o presente eterno que jamais poderá nos ser tirado. Quem o recebe, o tem para sempre. Desfrutamos de Jesus nesta vida e na vida futura. Disse Jesus: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão (Jo 10.27-28).

 

Concluo, desejando que você receba a Jesus como o presente de Deus. Ele é o presente necessário, funcional, imerecido e eterno. Renda-se ao amor de Deus revelado em seu Filho, Jesus Cristo!

 

Rev. Arival Dias Casimiro

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário