Pastorais

A fé verdadeira é um dom de Deus. Ela é ensinada na Bíblia sobre três perspectivas: (1) Fé Salvadora, que é dada por Deus exclusivamente aos seus eleitos (Tt 1.1). Ela vem pelo ouvir a pregação da Palavra de Deus (Rm 10.17). Ela é a mão que se estende para receber a salvação de Deus e o perdão dos pecados (Rm 5.1). (2) Fé como conteúdo doutrinário em que cremos. Judas, irmão do Senhor Jesus, exorta-nos que batalhemos diligentemente “pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos” (v 3). A fé é o conteúdo da revelação divina, a sã doutrina, que foi entregue por Deus definitivamente a Sua Igreja (2Tm 4.1-5). (3) Fé como exercício de confiança na palavra de Deus, acompanhada pela vida de obediência (Hc 2.4; Rm 1.17). Quem confia obedece.

 

Em João 12.44-50, Jesus apresenta um resumo de tudo que ensinou sobre fé. Ele apresenta os pontos fundamentais que caracterizam a fé verdadeira.

 

Primeiro, a fé genuína fundamenta-se na Trindade (vv 44-45).

Quem crê em Jesus, crê também no Pai que o enviou. Não há fé verdadeira onde o Pai e o Filho estão separados. Não existe a possibilidade de se conhecer a Deus sem se conhecer ao Filho. Jesus falou sobre a unidade existente entre Ele e o Pai: Eu e o Pai somos um (Jo 10.30). Também, Jesus falou acerca da divindade do Espírito Santo e da perfeita unidade entre as três pessoas (Jo 14.16). Observe a ênfase nas três pessoas: E, o Pai e o outro Consolador. O outro indica que o Espírito Santo é Deus, com a mesma natureza das outras duas pessoas. Por isso que quando alguém crer no evangelho deve ser batizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mt 28.18-20). Cuidado com as seitas heréticas que acreditam em Deus Pai e rejeitam as divindades do Filho e do Espírito Santo.

 

Segundo, a fé genuína tira a pessoa das trevas (v 46).

Jesus disse: Eu vim como luz para o mundo, a fim de que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas (Jo 12.46). Jesus é a luz divina que veio a este mundo. A vida estava nele e a vida era a luz dos homens. A situação de alguém que não crê em Jesus é igual a de uma pessoa que está nas trevas. Trevas significam ausência de luz, isto é, ausência de vida, de alegria, de visão e de direção. Trevas simbolizam morte, tristeza, cegueira e perdição. Crer em Jesus, a luz do mundo, significa ser salvo e liberto do poder das trevas. Pelo poder da luz somos vivificados e santificados. Os que seguem a Jesus são filhos da luz (Jo 12.35-36).

 

Terceiro, a fé genuína se origina e é sustentada pela obediência a Palavra de Deus (vv 47-49).

A salvação consiste em ouvir, receber e guardar as palavras de Jesus (Jo 8.51). As palavras de Jesus são poderosas para produzir a vida eterna. Mas é necessário que se creia e guarde as palavras de Jesus. O famoso escritor Mark Twain disse certa vez que ele não se preocupava com o que não entendia na bíblia. O que realmente o incomodava era exatamente o que ele entendia e não obedecia. A verdadeira fé é aquele que ouve e pratica a Palavra de Deus.

 

Quarto, a fé genuína produz a vida eterna (v.50).

O resultado da instrução de Jesus é a vida eterna: E sei que o seu mandamento é a vida eterna. As coisas, pois, que eu falo, como o Pai mo tem dito, assim falo (v.50). Quem crê na pessoa e nas palavras de Jesus tem a vida eterna.

 

Conta Sundar-Sing, que, nas cercanias de Nepal (índia), um mendigo pediu esmola durante 21 anos, sentado numa pedra, à beira do caminho. Depois de sua morte foi a pedra removida. Verificou-se, então, com grande assombro, que um tesouro de jóias riquíssimas, pertencentes outrora a um rei famoso estava enterrado debaixo daquela pedra. O mendigo ignorava a existência daquele tesouro. Mas sua ignorância é explicável. O que é estranho é que o pecador viva espiritualmente pobre, quando Deus oferece um tesouro de salvação e felicidade, bastando apenas examinar e crer na Palavra de Deus. Creia hoje mesmo em Jesus e na sua Palavra.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário