PRELETORES
Min Joshua Chung
Hernandes Dias Lopes
Augustus Nicodemus
Arival Dias Casimiro
Jeremias Pereira
Paulo Junior
Paulo Junior
Ronaldo Lidorio
Rosther Guimaraes
INVESTIMENTO

 

R$ 100,00

 

Refeições e hospedagem por conta de cada participante.

APRESENTAÇÃO
A igreja de Jesus está viva e jamais morrerá. John Armstrong diz: “Deus tem um povo que pertence a ele, e esse povo tem a vida dele, mesmo que essa vida esteja num estado debilitado ou exaurido”. Mas, a igreja passa por crises e abatimentos e necessita sempre de um avivamento. O salmista ora: “Porventura, não tornarás a vivificar-nos para que em ti se regozije o teu povo?” (Sl 85.6).

 

A palavra “avivamento” não aparece na Bíblia, mas o seu conceito é totalmente bíblico. “Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos” (Is 57.15). A ideia é de “vivificar”, “voltar a viver”, “restaurar” e “florescer”. A sua origem é divina, pois trata-se de uma intervenção soberana do Espírito Santo. O seu alvo é a igreja aparentemente morta e caída. Os meios para receber o avivamento são a oração e a pregação fiel da Bíblia.

 

O avivamento é a intervenção de Deus no curso ordinário da história da igreja. É Deus se revelando ao seu povo, em grande santidade e poder irresistível. É a manifestação poderosa de Deus colocando o homem no seu devido lugar. Charles Spurgeon diz: “A onipotência divina é a doutrina do avivamento”. O verdadeiro avivamento exalta a pessoa de Deus, a suficiência de Jesus e a total dependência do Espírito Santo. No avivamento, a igreja se arrepende dos seus pecados, busca santificação, enaltece a oração e o estudo da Bíblia, pratica o amor fraternal e aumenta a sua paixão e prática missionária.

 

A igreja evangélica brasileira precisa urgentemente de um avivamento e uma grande reforma espiritual. Menos o homem e mais Deus; menos pecado e mais santidade; menos show e mais adoração; menos prosperidade e mais sacrifício; menos debates e mais ação; menos discurso e mais Bíblia; menos estratégias e mais oração; e menos soberba e mais humildade. Isso só é possível num avivamento. Iain H. Murray diz: “A característica do avivamento é gerar uma profunda consciência do pecado em muitas pessoas na mesma hora, em virtude da percepção da presença de Deus”.

 

O II Congresso de Avivamento e Reforma Espiritual tem como objetivo motivar o povo de Deus a orar por um avivamento verdadeiro. O combustível do avivamento é a oração misturada com a pregação e o ensino fiel da Bíblia. Nos três dias do Congresso teremos a oportunidade de ouvir a exposição da Bíblia e orarmos juntos para que Deus nos envie um verdadeiro avivamento. Será um retiro espiritual. Contamos com a sua presença.
AGENDA
9 – Domingo

19:00 – Culto de abertura

10 – Segunda-feira

6:30 – Culto de oração
8:30 – Louvor
9:00 – Palestra
10:00 – Período em oração.
10:30 – Intervalo.
11:00 – Palestra
12:00 – Período em oração e almoço.
14:00 – Palestra
15:00 – Período em oração.
15:30 – Intervalo.
16:00 – Palestra
17:00 – Período em oração.
18:00 – Jantar
19:30 – Louvor
20:00 – Palestra
21:00 – Período em oração
21:30 – Encerramento.

11 – Terça-feira

6:30 – Culto de oração:
8:30 – Louvor
9:00 – Palestra
10:00 – Período em oração:
10:30 – Intervalo:
11:00 – Palestra
12:00 – Período em oração e almoço.
14:00 – Palestra
15:00 – Período em oração:
15:30 – Intervalo:
16:00 – Palestra
17:00 – Período em oração.
18:00 – Jantar
19:30 – Louvor
20:00 – Palestra
21:00 – Período em oração
21:30 – Encerramento.

12 – Quarta-feira

6:30 – Culto de oração
8:30 – Louvor
9:00 – Palestra
10:00 – Período em oração
10:30 – Intervalo
11:00 – Palestra
12:00 – Período em oração e almoço
14:00 – Palestra
15:00 – Período em oração
15:30 – Intervalo
16:00 – Palestra
17:00 – Período em oração
18:00 – Jantar
19:30 – Louvor
20:00 – Palestra
21:00 – Período em oração
21:30 – Encerramento.