Visitação não é uma alternativa,

mas uma atividade básica na prática da Igreja. É importante observar que Paulo suplementava o seu ministério público com o ensinamento “de casa em casa” (At 20.20). Além do mais, Tiago ensina que a prática da visitação é uma das evidências da religião pura e sem mácula (Tg 1.27). Dessa maneira, menosprezar essa atividade pode ser extremamente prejudicial ao sucesso da igreja local.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário