Artigo: https://www.ippinheiros.org.br/blog/a… Independentemente da geração a qual pertencer, o ser humano é, e sempre será, um pecador diante de um Deus Santo!, Santo!, Santo! Por outro lado, não se pode negar que existem diferenças no comportamento e nas prioridades das chamadas geração Y e geração Z, se comparadas às gerações X e Baby Boom. A grande maioria dos estudos sobre gerações está relacionada a comportamentos de consumo, educação, profissional, de liderança corporativa, para saúde pública e entretenimento. O foco do momento está na geração Z, após anos centrada na Y. Estudar as gerações é útil para saber como lidar com as diferenças de expectativas e perspectivas. Por exemplo, ao entender os adolescentes, mesmo que minimamente, é possível saber como se comunicar de forma efetiva. Embora o mundo nunca mude tanto quanto os jovens queiram, as mudanças quase sempre vêm na direção que apontavam. Diante desse cenário, como a igreja local pode entender as gerações Y e Z para acolher, evangelizar e discipular?

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário