Powered by Rock Convert

Seja em uma ilha deserta ou em meio a uma grande multidão, a sensação será a mesma: estou só! Estar sozinho pode ser bom em algumas ocasiões, quando você tem que fazer um trabalho delicado que exige muita atenção. Ou, então, quando você precisa tirar um tempo para colocar a cabeça no lugar e diminuir a sua tensão. Mas sentir solidão é diferente!

“A solidão está intimamente ligada à sentimentos de insatisfação, tristeza ou incompatibilidade com tudo o que nos cerca”, explica a psicóloga Raquel Staerke.

Solidão é mais do que uma situação de estar sozinho.  É sentir-se sozinho, distante de outros em suas emoções, perdido no meio do nada, como se ninguém o visse ou sentisse a sua falta. Ninguém está perto o suficiente para sentir o que o seu coração está sentindo, para chorar ou sorrir com você. Para se preocupar com aquilo que está lhe tirando o sono.

“Solidão é um sentimento no qual uma pessoa sente uma profunda sensação de vazio e isolamento.solidão é mais do que o sentimento de querer uma companhia ou querer realizar alguma atividade com outra pessoa não porque simplesmente se isola, mas porque os seus sentimentos precisam de algo novo que as transforme. (Wikipédia)

O que é a solidão?

“A solidão é o sentimento de não pertencer ao mundo que nos cerca. Não conseguimos criar vínculos ou nos identificar com os outros. Entre as causas da solidão, estão a dificuldade para se relacionar com outras pessoas, medo de ser julgado e o vazio existencial. É provável que você já tenha passado pela experiência de perder-se de seus pais no supermercado ou em alguma loja quando criança. A sensação nesses momentos é angustiante, pois nos sentimos vulneráveis, desamparados e acima de tudo, sozinhos. Entretanto, não é necessário perder-se de alguém para sentir este conjunto de emoções.  Quando não encontramos pessoas que compartilham valores, escolhas ou preferências semelhantes às nossas, nos sentimos excluídos.”  Kalel Adolfo

Para a psicóloga Adriana de Araújo, a intensidade da solidão também varia, podendo ser: 1. Leve: com presença de pensamentos negativos; 2. Mediana: presença de pensamentos negativos que trazem sofrimento; 3. Intensa: pensamentos negativos que trazem profundo sofrimento e a sensação de que não há esperança ou possibilidade de resolução.

Elias era um homem que andava com Deus e Ele o honrava em seu ministério de profeta. No monte Carmelo, Deus lhe deu forças e coragem para confrontar os profetas de Baal e os do poste-ídolo, embora fossem em número muito maior (850).  Ele teve a ousadia de expor a idolatria do povo, derrotando os profetas diante de todos. Seus olhos estavam focados no tamanho de seu Deus, e não no número de inimigos. Mas grandes líderes também sofrem de esgotamento emocional.

Depois de prever uma grande seca e avisar o rei Acabe que por muito tempo não choveria; depois de enfrentar fortes inimigos espirituais que corrompiam a fé de seu povo; depois de orar para que voltasse a chover sobre Judá, Elias foge da tempestade, da carruagem de Acabe e de uma mulher: Jezabel.

 “Líderes se sentem esgotados quando empregam muito de suas energias emocionais sem recomporem o seu interior”. John Maxwell, Bíblia da Liderança Cristã

Ele havia se distanciado de seus amigos, estava exausto e faminto, sentiu-se totalmente sozinho em seu ministério e numa visão delirante imaginava que todos quisessem matá-lo.  Ficou com muita pena de si mesmo, sentindo-se desprotegido, e então fugiu, escondendo-se numa caverna, no meio do deserto. Pediu até que Deus o matasse (I Reis 19:4).

Mas Deus não o deixara sozinho, como nunca deixa a nenhum de nós, que cremos Nele. Ele mesmo enviou um de Seus anjos com comida e água, e este o mandou dormir, descansando  e se recuperando de toda a sua fadiga física e emocional. 

Não é verdade que, quando estamos muito cansados física e emocionalmente, não vemos a vida com realismo? Nossas lentes ficam destorcidas, e vemos as situações e as pessoas fora de uma perspectiva correta.  Sentimo-nos ainda mais sozinhos, incompreendidos e abandonados. É por isso que precisamos tentar equilibrar nossas atividades profissionais e nossos relacionamentos. Nosso tempo com a multidão e o tempo a sós conosco mesmos e com o Senhor, que nos alimenta e refaz as nossas energias emocionais e espirituais.

Precisamos sair da caverna onde nos escondemos e saber que o nosso Deus nos ama, continua a ter um plano para nossas vidas e nos fará felizes usando-nos no relacionamento com outros.

avivamentoPowered by Rock Convert

Lições na solidão

“A ansiedade causada pela solidão pode ser diminuída se aceitarmos a realidade da vida e aprendermos a convertê-la em oportunidades para crescimento pessoal… Isto equivale a tomar a vida como ela é, sem nos lamentar nem culpar os outros, e muito menos a Deus. Isto nos permitirá afastar de nós expressões como: “Isto não podia ter acontecido comigo!” Devemos nos acostumar a pensar assim: “Aceitarei o que me acontecer e me arranjarei como puder.  Desde agora, tratarei de viver mais tranquilo, apesar das coisas que possam acontecer”. Como vencer a solidão – os dois lados da moeda, Ed. Hora

Quando confiamos no Senhor e somos lembrados que Ele nos ama e nos fez com um alto propósito, aprendemos a descansar Nele, sabendo que Ele age em todas as coisas para o bem daqueles que O amam. 

Mais ainda: que Ele atua por meio e além em todas as situações que nos permite passar, visando trabalhar o nosso caráter e nos tornar dia a dia mais semelhantes ao Seu Filho Jesus.

Como é vital conversarmos com o Senhor através da oração e ouvirmos a Sua voz através da Sua Palavra, assim como o salmista o fez, no Salmo 77: “Elevo a Deus a minha voz e clamo, elevo a Deus a minha voz, para que me atenda.  No dia da minha angústia, procuro o Senhor; erguem-se as minhas mãos durante a noite e não se cansam. A minha alma recusa consolar-se… Penso nos dias de outrora, trago à lembrança os anos de passados tempos… recordo os feitos do Senhor, pois me lembro das tuas maravilhas da antiguidade”. Salmo 77:1, 2, 11

Precisamos aprender a fazer um exercício diário de olhar para trás e contar as bênçãos Podemos nos lembrar de momentos passados com pessoas queridas, em situações agradáveis de trabalho, em viagens desafiadoras, e começar a agradecer. Anotar cada uma delas para que, nos momentos sombrios de desalento e solidão, possamos nos lembrar de agradecer ao Senhor por tudo que Ele fez e nos deu.

Juntos somos mais!

Nas Escrituras, lemos muito sobre as virtudes de estar com outras pessoas, não apenas para socializar, mas também para realizar uma obra importante. Aqui estão alguns princípios que ensinam e têm aplicação universal:

  1. Juntos podemos compartilhar a carga. É observado com frequência que dois cavalos que se juntam podem mover várias vezes a carga que um cavalo pode puxar sozinho.
  1. O mesmo se aplica frequentemente a nós no local de trabalho, especialmente quando o projeto que empreendemos é especialmente desafiador. “Dois são melhores que um, porque eles têm um bom retorno pelo seu trabalho. Se alguém cair, seu amigo pode ajudá-lo a se levantar. Mas pena daquele homem que cai e não tem ninguém para ajudá-lo a se levantar!… Embora um possa ser dominado, dois podem se defender. Um cordão de três dobras não se quebra rapidamente” (Eclesiastes 4: 9-12).
  1. Juntos, podemos trabalhar para melhorar nossos níveis de habilidade. Mesmo os indivíduos mais talentosos podem se beneficiar da interação com os outros. Podemos reforçar os pontos fortes uns dos outros, sugerir melhorias e até apontar os pontos cegos uns dos outros. “Como o ferro afia o ferro, assim um homem afia o outro” (Provérbios 27:17).
  1. Juntos, podemos assumir responsabilidades que uma pessoa não pode suportar sozinha. Moisés recebera a responsabilidade de livrar os israelitas da escravidão no Egito. Em pouco tempo ele percebeu que era incapaz de resolver todos os problemas deles e abordar seus conflitos. Em resposta, Deus nomeou anciãos – outros líderes respeitados – para assumir as responsabilidades menores e libertar Moisés para lidar apenas com as questões mais importantes que surgiram. Seria sensato procurar ajuda semelhante quando necessário. “Eu não posso levar todo esse povo sozinho; o fardo é pesado demais para mim” (Números 11:14). Jim Mathis

Todos nós temos escolhas a fazer: ou podemos andar sozinhos ou ir à procura de companhia, pedindo que a nossa vida seja bênção em outras vidas.  Que nossas experiências com Deus e com a vida sejam de contribuição para outros. Podemos sair de nossa concha, de nossa caverna, indo ao encontro daqueles que precisam de ajuda, e teremos alegria em ver tudo o que o Senhor pode fazer através daqueles que se dispõem em Suas amorosas mãos.

Se o seu coração estiver vazio, tristonho e encolhido em si mesmo, ouça o que Jesus, o Deus em forma de gente, nos diz: “Escutem! Eu estou à porta e bato.  Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos”. (Apocalipse 3:20, NTLH)

Ao convidar Jesus para ser o seu Salvador, arrependido crendo que Ele morreu na cruz por você, para pagar pelos seus pecados, ressuscitou dos mortos e está vivo hoje, você estará iniciando uma nova vida.  Esta vida terá sentido, alegria, perdão, paz e a certeza que, depois que fizermos tudo o que Ele nos deixou para viver, estaremos em comunhão na Casa do Pai, eternamente em família. Ele é a melhor companhia e nos afirma: “Eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos” Mateus 28:20 NTLH

Se você já O conhece como Seu Salvador e Senhor da sua vida, deixe-me lembrá-lo de Suas preciosas promessas, entesouradas na Sua Palavra:

…eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Mt. 28:20

“Eu nunca te deixarei, nunca jamais te desampararei.” Hb. 13:5

solidão


    1 Response to "Jesus te ampara na solidão"

    • Avatar Igor Lira da Silva

      Amém.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.