Pastorais

Faça uma autoanálise

e veja o quanto você trabalha para você e compare com o que você tem feito para Deus. Use o critério do tempo gasto ou investido. Quanto do seu tempo você tem gasto para realizar a obra de Deus?

 

Encerrando a sua primeira carta aos Coríntios,

Paulo encoraja os irmãos a se manterem firmes na fé e produtivos no trabalho do Senhor: Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão (1Co 15.58). Há três importantes verdades neste verso:

 

A obra do Senhor é feita pelos filhos de Deus:

“meus amados irmãos”. O trabalho do seu é feito por aqueles que foram escolhidos, salvos e capacitados pelo Senhor. 

 

A obra do Senhor exige dedicação:

“sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes”. Todos que trabalham precisam ser firmes e irremovíveis na sã doutrina, que foram instruídos (1Co 15.3-4); inalteráveis com respeito à esperança (Cl 1.23); e abundantes no zelo e diligentes na piedade e no trabalho.

 

A obra do Senhor é recompensadora:

“sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão”. Todo trabalho cristão não será inútil, mas grandemente recompensado pelo Senhor (Hb 6.10). 

 

Gostaria de desafiá-lo a trabalhar mais para Deus. Para isso, apresento-lhe mais três argumentos bíblicos:

 

Em primeiro lugar,

trabalhe por gratidão a Deus. Deus é a fonte de todas as bênçãos que recebemos. Precisamos tomar cuidado, para que a doação não tome o lugar do Doador em nosso coração. Por isso Deus nos exorta: “Guarda-te não te esqueças do SENHOR, teu Deus, não cumprindo os seus mandamentos, os seus juízos e os seus estatutos, que hoje te ordeno; para não suceder que, depois de teres comido e estiveres farto, depois de haveres edificado boas casas e morado nelas; depois de se multiplicarem os teus gados e os teus rebanhos, e se aumentar a tua prata e o teu ouro, e ser abundante tudo quanto tens, se eleve o teu coração, e te esqueças do SENHOR, teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão, que te conduziu por aquele grande e terrível deserto de serpentes abrasadoras, de escorpiões e de secura, em que não havia água; e te fez sair água da pederneira; que no deserto te sustentou com maná, que teus pais não conheciam; para te humilhar, e para te provar, e, afinal, te fazer bem. Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o poder do meu braço adquiriram estas riquezas. Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, porque é ele o que te dá força para adquirires riquezas; para confirmar a sua aliança, que, sob juramento, prometeu a teus pais, como hoje se vê” (Dt 8.11-18). Cuidado com a ingratidão! 

 

Segundo,

trabalhe pelo bem das pessoas. Se você deseja trabalhar para o Senhor, trabalhe para os seus irmãos na fé, principalmente para aqueles que estão necessitados. Esta é a maior prova de fé e amor do cristão. O apóstolo João diz: “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos. Ora, aquele que possuir recursos deste mundo, e vir a seu irmão padecer necessidade, e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade” (1Jo 3.16-18). Servir a Deus é servir aos irmãos, independente se o irmão merece ou não. Tiago fala do serviço como evidência de fé: “Se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento cotidiano, e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai vos sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso? Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta” (Tg 2.15-17). Trabalho cristão é resultado da fé que temos em Deus.

 

E por fim,

trabalhe por causa da disciplina de Deus. Todas as vezes que desprezamos o trabalho de Deus, por causa dos nossos empreendimentos pessoais, Deus nos disciplina. O profeta Ageu diz: “Tendes semeado muito e recolhido pouco; comeis, mas não chega para fartar-vos; bebeis, mas não dá para saciar-vos; vestis-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o para pô-lo num saquitel furado” (Ag 1.6). Trabalho sem a bênção de Deus só gera insatisfação e frustração. Entenda que não há prosperidade na vida do crente quando ele despreza a obra de Deus. Se alguém é infiel e próspero é necessário que se questione a sua filiação, pois Deus disciplina a todos o que ama. Assuma o compromisso com Deus. Trabalhe mais para Ele. Você sentirá uma grande diferença.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário