Uma das mais belas formas de relacionamento que há na criação é a relação entre pais e filhos. Além de bonita, esta relação é importante para o desenvolvimento da afetividade e para a formação da personalidade dos filhos.

Paulo dirige-se primeiro aos filhos: Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. (Ef 6.1). Duas lições importantes:

Os filhos devem obedecer aos pais. Todo filho, independentemente da idade, deve obediência aos seus pais (obedecer seguir, estar sujeito ou sob autoridade).

Os filhos devem obedecer porque Deus manda. A bíblia apresenta duas razões para a obediência: porque isto é justo conforme a lei natural escrita no coração dos homens (Rm 2.14-15) e porque isto é um mandamento da lei de Deus: Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra (Ef 6.2-3). Honrar aos pais é um mandamento divino (Ex 20.12; 21.15-17; Lv 20.9; Dt 5.16; 21.8; Pv 1.8; 6.20; 30.17; Mt 15.4-6). Honrar é respeitar e reverenciar.

Paulo fala aos pais: E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor (Ef 6.4). São dois princípios para os pais:

Pais, não provoqueis vossos filhos a ira. Os pais podem provocar a ira dos filhos por meio do excesso de disciplina, favoritismo, super proteção. P.D. Méier fala que cinco coisas são necessárias para um bom relacionamento entre pais e filhos: amor, disciplina, coerência, exemplo e liderança paterna.

Pais criem os vossos filhos na disciplina e admoestação do Senhor. Criar significa nutrir, cuidar nos caminhos do Senhor. Criar não é só gerar, mas educar para a vida e para a eternidade. Duas estratégias: Primeiro, disciplina e correção. Os pais devem estabelecer limites para os filhos, incluindo privilégios e deveres – Hb 12.5,7-8. Uma criança sem limites envergonhará os seus pais (Pv 17.25). A vara e a repreensão dão sabedoria; mas a criança entregue a si mesma envergonhará a sua mãe (Pv 29.15). Segundo, Admoestação do Senhor. Isto envolve a instrução, advertência e encorajamento pela Palavra de Deus (Dt 6). A disciplina deve ser acompanhada do ensino da Palavra de Deus.

Uma família em que os seus integrantes cumprem os papéis estabelecidos pela Palavra do Senhor será forte e ativa. Charles Swindoll diz que uma família é forte quando os seus integrantes são comprometidos com a família, gastam tempo juntos, têm boa comunicação familiar, apreciam um ao outro, têm um compromisso espiritual e resolvem os problemas nas crises.

 

Rev. Arival Dias Casimiro

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário