Rev. Arival Dias Casimiro

“Pedro, pois, estava guardado no cárcere; mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele” (Atos 12.5).

Em Atos 12, a igreja passava por um momento especial de crescimento, com a plantação da Igreja em Antioquia. Paulo reiniciava o seu ministério, com o apoio de Barnabé e pela primeira vez os discípulos foram chamados de cristãos. Era um tempo especial de crescimento e avanço da igreja. Mas, o diabo atacou a Igreja pela instrumentalidade de Herodes, matou a Tiago e prendeu a Pedro, também com a intenção de matá-lo. A estratégia dos imperadores romanos era: “Se você quer destruir um grupo, mate a sua liderança”. Este é também o lema do “Imperador das trevas” com relação à igreja. A oração é a grande arma da igreja para enfrentar as perseguições do mal.

Quando a igreja soube da prisão de Pedro, ela tomou a decisão de orar pelo seu líder encarcerado: “mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele”. Observe que é a igreja que toma a iniciativa de orar por Pedro. Os irmãos oravam incessantemente a Deus, para que Pedro fosse liberto e salvo das mãos de Herodes. E o que acontece quando a igreja ora incessantemente pelos seus líderes? Primeiro, Deus envia um anjo para libertar Pedro. Deus cumpriu a sua promessa: porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Segundo, Deus derramou luz na prisão onde Pedro se encontrava. Foi uma luz sobrenatural num momento de trevas espirituais. Terceiro, Deus despertou a Pedro que dormia. Precisamos urgentemente de um despertamento espiritual na atual liderança de nossas igrejas. Quarto, Deus libertou a Pedro das algemas que o prendia. Precisamos ser libertos da preguiça, da omissão e do ativismo sem o poder do Espírito. Quinto, Deus lhe deu direção para sair da prisão. Precisamos de direção para fugir e resistir às tentações malignas. Vivemos num contexto de confusão moral e espiritual. Sexto, Deus abriu a porta da prisão automaticamente. Jesus disse a igreja de Filadélfia: “eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar”. Precisamos orar para que Deus abra portas para a pregação e para a libertação dos cativos. Sétimo, Pedro reconheceu que a sua libertação foi uma ação miraculosa de Deus: “agora, sei, verdadeiramente, que o Senhor me enviou o seu anjo e me livrou da mão de Herodes”.

A lição que aprendemos desse episódio é que Deus faz milagres na vida dos líderes, quando a igreja ora incessantemente por eles. Jonathan Edwards disse: “Se alguns cristãos que se tem queixado de seus ministros, tivessem dito e agido menos diante dos homens e tivessem aplicado a si mesmos com todo o seu poder clamar a Deus pelos seus ministros – teriam, por assim dizer, levantado e agitado o céu com as suas orações humildes, fervorosas e incessantes em favor deles, e teriam tido muito maior sucesso.” Pare de falar mal dos seus líderes espirituais e passe a orar por eles.

1 comentário

  1. Estudo maravilhoso, é assim que tenho agido ultimamente falado menos das lideranças e orado mais, e Deus já tem enviado respostas.
    Deus abençoe cada um de vocês que tem se dedicado ao estudo da Palavra e, nos edificado com a Palavra de Deus.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário