Pastorais

O QUE DEUS TEM FEITO POR NÓS

Vinde, ouvi, todos vós que temeis a Deus, e vos contarei o que tem ele feito por minha alma (Sl 66.16).

A Igreja Presbiteriana de Pinheiros comemora 115 anos de organização (08.07.1906). Somos um povo ricamente abençoado por Deus. São mais de 42 mil dias recebendo as bênçãos do Eterno. E a melhor notícia é que isso jamais se encerrará. Por isso diz o poeta sacro: “Canta meu povo, alegra meu povo, que a festa não vai acabar. Quando findar na terra, no céu vai continuar”. Creio que o grande privilégio que o crente tem é o de poder compartilhar uns com os outros, as bênçãos que recebeu de Deus. Precisamos recuperar a arte de adorar a Deus coletivamente, reconhecendo e proclamando o que Ele tem feito por e em nós.


Primeiro um convite: “vinde, ouvi”.

Um convite para se reunir e para ouvir. A palavra “ouvir” (sama) significa escutar com inteligência, atenção e consideração o que a pessoa vai dizer. Ouvir é algo muito importante e necessário à vida espiritual. Adoração começa com o ouvir. Precisamos ouvir a voz de Deus com o propósito de obedecê-la. Necessitamos ouvir aqueles que conversam com Deus e que o ouvem falar. Diga a Deus: “Que tremendos são os teus feitos!” Diga a todos: “Vinde e vede os tremendos feitos de Deus para conosco”. Vamos juntos adorar ao Senhor.


Segundo, um público alvo: “todos vós que temeis a Deus”.

O salmista convoca os que temem a Deus. Ele chama “todos” os que puderem e quiserem vir. Grandes e pequenos, homens e mulheres, novos e velhos. Ele conclama uma reunião de irmãos que tem o temor e a reverencia a Deus. Ele não deseja louvar e agradecer a Deus sozinho, mas na companhia dos santos. R. Baxter disse: “Lembre-se do valor que a adoração pública tem para aumentar nossa alegria em Deus. Uma brasa retirada do fogo logo se apaga, mas quando é reunida com outras, ajuda a reacender a chama”.


Terceiro, uma mensagem: “e vos contarei o que tem ele feito por minha alma”.

O verbo “contar” (saphar) significa “numerar”, “contar”, “relatar” e “declarar” de forma pública. Ele quer contar que Deus havia operado nele um grande desejo de orar, a vontade de glorificar e o medo de pecar. São benefícios espirituais que só Deus pode dar. Tomas Watson diz: “Na oração agimos como homens; no louvor agimos como anjos”. O cristão não foi feito para murmurar, mas para adorar. A adoração não faz parte da vida cristã; ela é a própria vida cristã. Convido a todos os membros e visitantes da Igreja Presbiteriana de Pinheiros. Convido a todos que nos assistem pelas redes sociais. Vamos todos contar, ouvir e agradecer a Deus, por tudo que Ele é e tem feito por nós.

Rev. Arival Dias Casimiro

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário