Pastorais

O CRISTIANISMO SOB ATAQUE

 

O Cristianismo é a religião mais perseguida do mundo. E isso, não é de agora. O mundo sempre odiou a Cristo e sempre odiará Cristo em nós. O mundo jaz no maligno e o príncipe das trevas é o deus deste século, governa este mundo tenebroso, atua nos filhos da desobediência e cega o entendimento dos incrédulos. Como Jesus é luz e a sua igreja é luz, então as trevas odeiam a luz, porque sabem que não podem prevalecer contra ela. A fé cristã sempre esteve e ainda está sob ataque. Destacarei quatro evidências:

 

Em primeiro lugar, a fé cristã está sendo atacada por uma onda de intolerância. A oposição ao Cristianismo sempre existiu. No passado, os imperadores romanos crucificavam os cristãos, queimavam vivos os fiéis e jogavam os crentes às feras. Os cristãos foram vítimas de inquisições sangrentas e traições desumanas. Mais recentemente, milhões de cristãos foram mortos pelo Nazismo, pelo Fascismo e pelas ditaduras comunistas. Hoje, ainda, cristãos são presos, torturados e mortos por religiosos radicais e por ideologias comunistas. Porém, a mais perversa perseguição é aquela que vem disfarçada, propondo e, às vezes, impondo uma nova visão de mundo. Essa perseguição entra nos parlamentos e nas cortes, mudando leis, amordaçando as consciências e determinando uma nova cosmovisão, onde os valores judaico-cristãos são vistos como uma ameaça à nova composição da sociedade.

 

Em segundo lugar, a fé cristã está sendo atacada por um novo entendimento do ser humano. Na cosmovisão humanista, o homem perdeu sua transcendência. Deus não é mais o seu referencial. Então, a vida humana já não mais tem o mesmo valor e dignidade. Isso justifica o aborto, a eutanásia e o descuido com as crianças e com os mais vulneráveis. Porque Deus foi empurrado para fora do caminho, a criação foi rejeitada e o propósito da vida foi alterado. O homem ao perder sua identidade, mergulhou sua alma num poço profundo de perplexidades. Daí, a corrida desenfreada para buscar um sentido para a vida no prazer, no poder e no sexo. A ideologia de gênero, a desconstrução da imagem de pai e mãe, e confusão dos papéis de marido e mulher, a erotização das crianças, a apologia das drogas e a sexualidade rendida a toda sorte de perversão moral são um diagnóstico de como a sociedade perdeu o rumo da moralidade e hostiliza a todos quantos defendem valores morais absolutos.

 

Em terceiro lugar, a fé cristã está sendo atacada pela ditadura do relativismo. No passado, o homem pensava antiteticamente. Hoje, o homem baniu o conceito de certo e errado. O mundo é plural. Tudo é relativo. A verdade é subjetiva. Nada tem nada a ver. Cada um é dono de sua própria verdade. Cada um escolhe seu próprio caminho e ninguém tem o direito de se posicionar. A ditadura do relativismo é muito mais do que tolerância com o erro, é inversão de valores. A sociedade hedonista quer empurrar goela abaixo de todos nós que não concordar com suas escolhas desvairadas é intolerância e até discurso de ódio. Mas, aqueles que acusam os cristãos de intolerância são os mais intolerantes. Eles querem imprimir a todo custo seu estilo de vida a todos. Gritam, vociferam, fazem passeatas, levantam bandeiras e recorrem aos tribunais, exigindo que sua vontade seja feita. Incompreensivelmente, não raro, as autoridades afagam sob o manto da lei essas exigências sinuosas, desfigurando a justiça, maculando a honra e desnorteando moralmente a sociedade.

 

Em quarto lugar, a fé cristã está sendo perseguida pelas ideologias políticas. Os cristãos sempre respeitaram as autoridades constituídas. Entendem que toda autoridade procede de Deus, sendo ministro de Deus para promover o bem e coibir o mal. Hoje, entretanto, muitas autoridades escarnecem de Deus, zombam do sagrado e desprezam os valores cristãos. Leis injustas são promulgadas. Governantes corruptos ascendem ao poder. Egrégios tribunais acobertam criminosos e penalizam inocentes. A injustiça assenta-se no trono. Ideologias perniciosas são propagadas para enganar os incautos, oprimir o povo e roubar sua liberdade. É tempo de nos acautelarmos! Os velhos inimigos estão de volta com nova indumentária!

 

Rev. Hernandes Dias Lopes