Há muitas pessoas buscando Jesus hoje de maneira errada e com motivações as mais diversas. É certo que a procura é determinada pela oferta, e o Jesus que muitos oferecem hoje não tem nada a ver com o da Bíblia. Mas o que nos leva, de fato, a busca-lo são nossas motivações ou expectativas. Jesus enfrentou problemas com as pessoas que o buscavam. As pessoas o procuravam com as mais diversas motivações. O capítulo seis de João nos revela algumas.

 

Os curiosos

(v.2). Muitos seguiam a Jesus para assistir às suas curas e milagres. Há pessoas que são expectadores ou telespectadores de Jesus: gostam de ver os prodígios e milagres, mas tudo sem compromisso.

Os interesseiros

(v. 14). Muitos viam a Jesus como um profeta ou um político que resolveria o problema da fome. Há muitos que buscam em Jesus somente solução para seus problemas materiais.

Os incrédulos

(v.36). Muitos viam os sinais e ouviam as mensagens, mas não criam. Eram céticos: mente e coração fechados para as realidades espirituais.

Os murmuradores

(v.41). Muitos reclamaram da mensagem de Jesus e passaram a desprezar sua pessoa: Jesus não satisfazia suas necessidades.

Os desistentes

(v. 66). Muitos desistiram de seguir a Jesus porque sua mensagem era muito difícil de ser vivida.

Os fiéis

(vv. 67-69). Aqueles que não desistiram de seguir a Jesus.

 

É muito importante observarmos o que Jesus fala para seus discípulos verdadeiros: “Então, perguntou Jesus aos doze: Porventura, quereis também vós outros retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras da vida eterna; e nós temos crido e conhecido que tu és o Santo de Deus” (vv 67-69). O verdadeiro discípulo jamais desiste de seguir a Jesus. Três razões para justificar esta “não desistência”:

 

Primeiro, ele não desiste porque foi escolhido por Deus.

Cada discípulo de Jesus foi escolhido por Deus, e é conduzido por Ele a Jesus: “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora” (v. 37). Não lançar fora significa que o verdadeiro discípulo foi escolhido para ficar para sempre com Jesus. Ele jamais desistirá. Esta verdade é repetida por Jesus, várias vezes (vv. 39-40, 44, 64-65, 70).

 

Segundo, ele não desiste porque Jesus é a única opção que satisfaz.

Pedro pergunta: Senhor, para quem iremos? Qual seria outra opção além de Jesus? Alguém poderia ocupar o lugar de Jesus em minha vida? Não, definitivamente. Somente por intermédio dele poderemos ser salvos (Atos 4.12).

 

Terceiro, ele não desiste por causa de sua fé.

Pedro diz a Jesus: “Tu tens as palavras da vida eterna; e nós temos crido e conhecido que tu és o Santo de Deus”. Por meio da fé e do conhecimento espiritual, o discípulo sabe quem é Jesus. Observe que o percurso é crer para conhecer e não conhecer para crer. Ele sabe e já desfruta da vida eterna que somente Jesus pode dar (v.47). Esta compreensão foi produzida nele, pelo Espírito Santo, de maneira sobrenatural. Portanto, quem conhece e recebe a Jesus, por meio do novo nascimento, jamais desiste ou o abandona.

 

Examine agora, à luz deste ensino de Jesus, quais são suas motivações em segui-lo. Jesus tem atendido suas expectativas?

 

Rev. Arival Dias Casimiro

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário