As pedras preciosas, também conhecidas como gemas, são minerais, rochas ou matérias petrificadas com brilho e coloração especiais encontradas na natureza. A maioria dessas pedras é formada no interior da terra, podendo ser também criadas sinteticamente, em laboratório. Para classificar e caracterizar o valor de uma pedra é considerado quatro critérios: cor, pureza, quilate e lapidação. As dez pedras preciosas mais conhecidas são: diamante, opala, esmeralda, água-marinha, alexandrita, rubi, safira, ametista, topázio e turquesa. O principal uso das pedras preciosas hoje é na fabricação de joias e acessórios com objetivo comercial.

As pedras preciosas foram associadas com espiritualidade e religiosidade. Seitas esotéricas acreditam no poder curativo de pedras e na sua capacidade de atrair energias positivas. Símbolos místicos foram dados a cada pedra, como por exemplo, os signos do zodíaco. Para cada signo tem uma pedra correspondente.
Na Bíblia, as pedras preciosas, aparecem pela primeira vez na descrição do jardim do Éden (Gn 2.11-12). Elas nunca foram usadas num sentido místico, apenas metafórico. No Antigo Testamento, no âmbito da lei cerimonial, doze pequenas pedras preciosas foram colocadas na veste do sumo-sacerdote, cada uma de um tipo, representando as doze tribos de Israel (Ex 28.15-21). No Novo Testamento, as pedras preciosas são usadas para descrever as coisas celestiais, com destaque para a beleza da Nova Jerusalém (Ap 21.19-21).

Pedro faz uma descrição de quem é Jesus. Ele usa a metáfora da pedra: Jesus é a Pedra viva, angular, eleita, preciosa, rejeitada e que produz tropeços (1Pe 2.4-8). Paulo declara também que Jesus é a pedra: Todos eles comeram de um só manjar espiritual e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo (1Co 10.3-4). Cinco lições sobre Jesus como a pedra:

Primeira, Jesus é a pedra que oferece estabilidade. Ele não muda. Ele é uma rocha eterna (Is 26.4). Ele é o mesmo ontem, hoje e o será para sempre (Hb 13.8). Ele é imutável e fiel em contraste com a nossa natureza inconstante e infiel (Dt 32.4).

Segunda, Jesus é a pedra da nossa salvação. Davi declara: Só ele é a minha rocha, e a minha salvação (Sl 62.2). Devemos confiar em Jesus e edificar sobre ele a nossa vida e depositar nele toda a nossa esperança. Somente Ele pode nos salvar (At 4.11-12).

Terceira, Jesus é a pedra de segurança e proteção. Ele é o nosso refúgio, na hora da aflição e da perseguição. Devemos confiar nele de todo coração (Sl 61.1-3; 62.7-8).

Quarta, Jesus é pedra que satisfaz. Ele é uma pedra fonte de alimentos espirituais. Ele é o pão que alimenta e a água que mitiga a nossa sede (Jo 6.32-36; 7.37-38).

Quinta, Jesus é a pedra que segue. Uma lenda judaica dizia que a verdadeira pedra ferida por Moisés os seguia por todo o deserto, fornecendo água ao povo. Lendas a parte, Jesus caminha com o seu povo, todos os dias, suprindo as suas necessidades (Mt 28.20). O salmista louva ao Senhor porque Ele transformou terra seca em mananciais (Sl 107.35).

Louvemos a Jesus. Ele é a nossa riqueza, o nosso tesouro e a nossa pérola de grande valor.

Rev. Arival Dias Casimiro

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário