Mais um ano começa e, com ele, a esperança de dias melhores. Não devemos nos iludir, porém, que o tempo ou a mudança no calendário produzirá a melhoria. Com certeza as coisas serão melhores a partir de mudanças pessoais. O tempo não melhorará nada em minha vida, se não houver uma mudança interna na minha maneira de pensar e agir. Moisés resume este ensinamento da seguinte maneira: “Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio”. (Sl 90.12).
Nesta primeira pastoral do ano, gostaríamos de sugerir aos irmãos, alguns princípios que, colocados em prática, os ajudarão a ter um Feliz Ano Novo.

Primeiro:

Seja proativo ao invés de reativo. Ser proativo consiste na habilidade de agir com base em princípios e valores, ao invés de reagir guiado pelas emoções ou circunstâncias. Stephen R. Covey afirma que todos precisamos de uma “tecla de pausa”, algo que nos possibilite parar nesse intervalo entre o que nos acontece e a nossa reação, e escolher a nossa resposta. Quantas atitudes já tomamos reativamente das quais nos arrependemos depois. A Bíblia nos aconselha a sermos proativos: “Confia no Senhor e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade” (Sl 37.3). “Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem” (Rm 12.21). Francisco de Assis, em sua “oração da Serenidade” pediu: “Que Deus me dê serenidade para aceitar o que não posso mudar, coragem para mudar o que pode ser mudado, e sabedoria para distinguir a diferença”.
Segundo: estabeleça um objetivo na mente, ou seja, tenha uma visão bem definida. Você não deve começar o ano sem estabelecer um alvo ou um objetivo a ser alcançado durante o ano. A vida é como o voo de um avião. Antes da decolagem, o piloto examina o plano de voo. O sucesso da viagem esta em seguir os procedimentos daquele plano, mesmo que durante a viagem o vento, a chuva, a turbulência interfiram no plano. A Bíblia nos diz: “Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração”. (Sl 37.4).

Terceiro:

Priorize as coisas mais importantes. Creio que as três prioridades na vida de um cristão são: o seu relacionamento com Deus (Mt 6.33), a sua vida familiar e o seu trabalho (Sl 127 e 128). Goethe disse: “As coisas mais importantes nunca devem ficar à mercê das menos importantes”. No atual ritmo de vida, onde aparentemente o tempo é escasso comparado à nossa agenda, precisamos eleger prioridades.

Quarto:

Busque sempre a vitória. A Bíblia nos garante que, em Cristo somos mais que vencedores. Até mesmo as tribulações e os sofrimentos que passamos estão sob o controle e o planejamento de Deus. Ele faz todas as coisas segundo o propósito da sua vontade (Ef 1.11). Entretanto, não conhecemos além daquilo que nos está revelado nas Escrituras (Dt 29.29). Cabe-nos, então, a busca pela vitória. Joabe resume bem este principio: “Sê forte, pois; pelejemos varonilmente pelo nosso povo e pelas cidades de nosso Deus; e faça o Senhor o que bem lhe aprouver” (1Cr 19.13). Ruy Barbosa resume: “maior que a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado”.

Quinto:

Encontre a significância por meio do serviço. Albert Schweitzer disse: “Não sei qual será o seu destino, mas de uma coisa eu sei: os únicos entre vocês que serão realmente felizes são aqueles que buscaram e aprenderam a servir”. Encontra-se um sentido ou um significado para a vida no ato de servir. Já disse alguém que quem não vive para servir não serve para viver. Não existe sucesso sem serviço. O verdadeiro vencedor é aquele que serve a Deus e ao próximo, à semelhança de Jesus Cristo. A infelicidade na vida cristã relaciona-se com a inatividade, a ociosidade e a omissão.

Sexto:

Obedeça ao mandamento do amor: “O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei” (Jo 15.12). O amor ao próximo não é um sentimento opcional, mas uma ordem de Jesus aos seus discípulos. É uma ordem coletiva cujo referencial é o amor de Jesus, que se fundamentou não em motivos existentes no objeto amado, mas em seu próprio altruísmo. O amor gera compreensão. Procure olhar para os outros com os olhos do coração. Quando prevalece o amor, buscamos sempre compreender do que ser compreendido. Quando você compreende, você não julga.

Concluindo, afirmamos que o ano de 2020 será um ano melhor do que 2019, se mudarmos de atitudes.

O tempo não tem o poder de modificar, mas de oferecer oportunidades para mudanças. Vale a pena considerar o conselho do apóstolo Paulo: “aproveitai as oportunidades” (Cl 4.5). Feliz 2020!

 

Rev. Arival Dias Casimiro

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário