Pastorais

AS VIRTUDES DA IGREJA DE DEUS

1 Coríntios 1.4-9

 

Olhamos sempre para os defeitos humanos e institucionais da igreja e esquecemos que ela é plena de virtudes espirituais. Mesmo sendo uma igreja problemática, Paulo olha para as virtudes da igreja de Corinto. Ele agradece a Deus pela vida dos crentes que faziam parte da igreja em Corinto: ‘Sempre dou graças a [meu] Deus a vosso respeito’ (v 4). Ele revela o seu coração pastoral, agradecendo a Deus pela vida dos irmãos. Ele sempre inicia as suas cartas agradecendo pela conversão das pessoas a quem escreve (Rm 1.8; Fp 1.3-4; 1Ts 1.2; 2Ts 1.3). Mas, quais são os motivos pelos quais ele agradece?

 

A Igreja é a comunidade dos agraciados.

A igreja existe e sobrevive pela graça de Deus. Paulo diz: “Sempre dou graças a [meu] Deus a vosso respeito, a propósito da sua graça, que vos foi dada em Cristo Jesus” (1Co 1.4). Três lições práticas: (1) O presente: a graça. A palavra graça (charis) abrange todas as classes de bênçãos que são recebidas por meio do evangelho, com destaque para os dons espirituais que Deus concede ao seu povo (1Co 12-14); (2) A fonte e os beneficiários da graça: Deus e os cristãos. Ele deu graça aos coríntios, os quais são os beneficiários passivos – Rm 12.6; 2Co 8.1. A igreja é a comunidade da graça ou dos agraciados; (3) O intermediário da graça: Jesus. A graça de Deus foi dada em Jesus Cristo – Jo 1.17; Rm 1.5.

 

A Igreja é a comunidade dos enriquecidos.

Paulo declara que a igreja é rica: “Porque, em tudo, fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento; assim como o testemunho de Cristo tem sido confirmado em vós, de maneira que não vos falte nenhum dom” (1Co 1.5-7). Quando salvos pela graça, somos enriquecidos com todos os tesouros espirituais (2Co 8.9; Fp 4.19). Deus dá aos remidos por Cristo incontáveis riquezas espirituais (Ef 1.3 e 3.8). Apalavra grega traduzida por “enriquecidos” dá origem à palavra portuguesa plutocrata, “pessoa influente e preponderante por seu dinheiro”. A igreja de Deus é formada por pessoas ricas em dons e recursos espirituais, não lhe faltando nada que impeça o seu desenvolvimento espiritual. Paulo destaca duas peças deste grande tesouro: a palavra, a transmissão da verdade e o conhecimento, a apreensão da verdade (1Co 12.8).

 

A Igreja é a comunidade dos esperançosos.

A lgreja é a casa da esperança. Ele peregrina sempre de olho no futuro. Paulo associa dons espirituais à expectativa da segunda vinda de Cristo: “Aguardando vós a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo” (v. 7). A igreja que exercita os dons espirituais é a mesma que aguarda ansiosamente o retorno de Cristo (Fp 3.20; Hb 9.28; 1Pe 3.20). A revelação (apocalupsin = manifestação ou revelação) de Cristo será pessoal (At 1.11), visível (Mt 24.30), repentina (1Ts 5.2-3) e gloriosa (1Co 15.25). A igreja de Deus ora sempre: Vem, Senhor Jesus!

 

A Igreja é a comunidade dos santos perseverantes.

Paulo destaca que a igreja é a comunidade dos que não retrocedem. “O qual também vos confirmará até ao fim, para serdes irrepreensíveis no Dia de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor” (1Co 1.8-9). Duas ideias chaves: (1) ‘confirmará’ significa a promessa do constante poder de Deus que firma ou sustenta a fé do crente até o fim (Jo 10. 28-29); (2) ‘para serdes irrepreensíveis’ indica a certeza de que Deus apresentará os crentes sem culpa ou sem condenação por ocasião do julgamento final (Ef 5.25-27). Todo crente verdadeiro perseverará até o fim, porque Deus é fiel (Dt 7.9; 1Co10.13). Em outras palavras, Deus é quem persevera em não me deixar cair ou desistir.

 

Rev. Arival Dias Casimiro