Rev. Arival Dias Casimiro

Para a igreja cumprir a sua tarefa missionária, ela precisa de autoridade espiritual. Autoridade é a base ou o ponto de partida da missão, isto é, saber quem a enviou e em nome de quem ela realizará o seu trabalho. Esta foi a pergunta que Deus fez a Moisés: Disse Moisés a Deus: Eis que, quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? (Êx 3.13). Em outras palavras, eu vou aos filhos de Israel com que autoridade ou em nome de quem? Resposta: Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros (Êx 3.14). A igreja em Atos dos Apóstolos partiu para cumprir a missão sob a autoridade de Jesus. Ela partiu para o trabalho em nome de Jesus (Mt 28.19; Lc 24.47). Vejamos os exemplos:

 

A Igreja pregava e ensinava em nome de Jesus.

Mas Barnabé, tomando-o consigo, levou-o aos apóstolos; e contou-lhes como ele vira o Senhor no caminho, e que este lhe falara, e como em Damasco pregava ousadamente em nome de Jesus (At 9.27). Que autoridade tem uma pessoa para pregar o evangelho? Esta autoridade provém do nome de Cristo (2Co 5.20). A igreja em Atos pregava e ensinava em nome de Jesus, mesmo quando era proibida pelos inimigos: Chamando-os, ordenaram-lhes que absolutamente não falassem, nem ensinassem em nome de Jesus (At 4.18). A igreja, porém, cheia do Espírito Santo, com intrepidez, anunciava a palavra de Deus (At 4.31).

 

A Igreja batizava em nome de Jesus.

Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizados em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espirito Santo (At 2.38). O batismo em nome de Jesus tem dois aspectos: para quem batiza a autoridade para batizar; para quem é batizado, está sob a autoridade de Jesus (At 10.48).

 

A igreja curava em nome de Jesus.

Pedro, porém, lhe disse: Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! (At 3.6). As curas e sinais que acontecem em Atos estão relacionados ao nome e ao poder de Jesus, e não ao Espírito Santo. Pela fé em o nome de Jesus, é que esse mesmo nome fortaleceu a este homem que agora vedes e reconheceis; sim, a fé que vem por meio de Jesus deu a este saúde perfeita na presença de todos vós (At 3.16). A fé em nome de Jesus é a mesma que vem por meio dele.

 

A igreja se regozijava por sofrer pelo nome de Jesus.

E eles se retiraram do sinédrio regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome (At 5.41). Sofrer por Jesus era algo que produzia alegria aos cristãos da igreja primitiva (At 15.26). Eles se sentiam honrados em sofrer pelo nome de Jesus. Sofrer pelo evangelho é privilégio para aqueles que estão sob a autoridade de Jesus.

 

A Igreja enfrentava os poderes espirituais do mal em nome de Jesus.

Isto se repetia por muitos dias. Então, Paulo, já indignado, voltando-se, disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, eu te mando retira-se dela. E ele, na mesma hora, saiu (At 16.18). Evangelização é a batalha espiritual. E para enfrentar os espíritos malignos no trabalho missionário, precisamos de autoridade e também de poder (At 13.9-12).

 

1 comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário