igreja presbiterianaPowered by Rock Convert

“Posso ter depressão e ser convertido? Deus não está no controle da situação? Isso está acontecendo por causa de algum pecado na minha vida? Por que parece que Deus não vê o que está acontecendo comigo! Por que Deus está tão distante? Eu sinto que sou um peso para os meus pais, para minha igreja, família, namorado…”

Estas são frases de adolescentes e jovens dentro de nossas igrejas. Eles não costumam se abrir com os adultos, mas entre a turma, rasgam o verbo e compartilham o que se passa em seus corações em ebulição, e as dores que latejam em suas almas.

O número de adolescentes e jovens que tentam suicídio vem aumentando dia a dia nas estatísticas mundiais. Tirar a própria vida já é a segunda causa de morte entre adolescentes, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde). “Estudos recentes dizem que o suicídio tem atingido idades mais tenras, a partir dos 11 anos” [1]. Cada pessoa que comete o suicídio tentou entre 20 e 25 vezes antes de conseguir encontrar a morte. As tentativas são gritos de pedido de socorro, e em alguns dos casos, se as pessoas que estão mais próximas estivessem atentas aos sinais, poderiam ter tentado conversar francamente sobre os problemas que estão assolando a pessoa, ajudando-as a encontrar respostas para sua vida, evitando sua morte precoce. Quais serão as causas que têm levado à esta pandemia entre pessoas que estão começando a vida? O que podemos fazer para ajudar a deter essas mortes tão precoces e evitáveis?

Dramas do passado

Ninguém mais sabia, mas a dor que lhe apunhalava a alma era contínua e cruel. Como poderia contar para alguém da família se fora alguém de dentro de casa que a ferira quando ainda criança, abusando-a sexualmente? Mesmo que ninguém mais soubesse, Tainah não conseguia mais dormir, como se os pesadelos fossem se tornar reais e adentrar novamente o seu quarto e por debaixo dos seus lençóis. O tempo não apagara a ferida de sua alma, e a dor secreta a consumia. Ela se sentia suja. ‘Não tenho com quem me abrir e falar sobre o que sinto. A morte é a única saída para a minha vida’, pensava Tainah”.

Esta pode ser a sua história, e você pode estar sofrendo muito há anos, envolvida em um misto de vergonha, medo, confusão e tristeza. O tempo não apaga, e está na hora de você lidar com tudo isso, pois sua vida é muito preciosa, e o Senhor quer lhe dar ouvidos, restaurando sua vida, carregando você no colo e lhe falando ao coração.  Mesmo que lhe seja difícil acreditar, Ele tem lindos planos para você, para o seu futuro. Nele, há um novo começo, pois Ele é o seu Pai, que ama demais você. Ele diz: “O Eterno está agora do meu lado: não estou mais com medo, pois quem ousaria encostar a mão em mim? O Eterno é um aliado poderoso… Eu estava no pico de penhasco, pronto para cair, quando o Eterno me segurou.  O Eterno é a minha força e também minha canção; agora, ele é a minha salvação”. Salmo 118: 5-16

Problemas na família?

Flávia começou a ficar cada vez mais triste ao sofrer com a crescente hostilidade entre os pais, que acabou em divórcio. Ela adorava o pai, sentia-se sua menininha querida, mas agora só podia vê-lo duas vezes por mês, e logo teve que dividí-lo com sua nova família. Sentia-se rejeitada e solitária, e a vida perdeu o sentido para ela. Os esportes, os colegas, as aulas de inglês, de natação, as viagens, o novo cachorrinho, as consultas com a psicóloga e o psiquiatra não conseguiram suprir a falta do carinho da família. “Não tem ninguém para se preocupar comigo. Se eu sumir hoje, ninguém vai notar. Eu sinto falta de ter alguém por mim”.

A Palavra de Deus nos diz que Ele faz com que o solitário more em família. Ele se coloca ao nosso lado como nosso Pai, e também traz gente de carne e osso para suprir aqueles que perdemos, ou por morte ou por separação, para o nosso lado. A Sua Palavra nos diz: “Ainda que meu pai e minha mãe me abandonem, o Senhor me acolherá”. Salmo 27:10. Aninhe-se em Seu colo, converse com Ele e experimente o carinho do Pai que nunca se afasta de você!

Crise de identidade?

Como se não bastasse o enjoo que sentia ao olhar a si mesmo no espelho, ainda sofria “bullying” na escola, ao ser ridicularizado pelos colegas. Ele nem precisava abrir a boca. Simplesmente existir e estar diante deles na classe já era motivo de chacota. Não é nada fácil ficar sozinho e sentir-se olhado com desdém! Paulo não podia mais aguentar aquilo. Era demais para ele! Chegava mesmo a concordar com a gozação de seus colegas, pois se nem ele mesmo acreditava ter em si alguma coisa de valor, como outros o apreciariam? “Esse vazio dentro de mim vai passar? Eu sinto um buraco no meu peito e nada faz sentido”.

Deus afirma a nossa identidade, quando nascemos de novo ao receber a Cristo como nosso Salvador.  Ele é a nossa identidade, pois Ele nos fez: “Tu me moldaste por dentro e por fora; tu me formaste no útero da minha mãe. Obrigado, grande Deus – é de ficar sem fôlego! Corpo e alma, sou maravilhosamente formado! Tu me conheces por dentro e por fora, conheces cada osso do meu corpo.  Sabes exatamente como fui feito; aos poucos; como fui esculpido: do nada até ser alguma coisa.  Como um livro aberto, tu me viste crescer desde a concepção até o nascimento; todos os estágios da minha vida foram exibidos diante de ti; os dias da minha vida, todos preparados antes mesmo que eu ter vivido o primeiro deles”. Salmo 139:13-16

Nosso corpo é precioso para Deus, pois ao recebermos a Jesus como Salvador, o Espirito de Deus vem morar em nós, dando sentido e razão ao nosso viver.  Sua Palavra nos diz: “Acaso vocês não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos?” I Coríntios 6:19

Álcool e drogas?

Os problemas eram tantos que Alexandre precisava encontrar um jeito de amortecer as dores de sua alma.  Os colegas lhe apontaram alguns meios de escape, levando-o para a bebida e para suas rodas de farra com as drogas.  O álcool amortecia suas dores, as drogas o faziam viajar para longe delas, e Alexandre foi se entregando cada vez mais.  Aos poucos, começou a roubar coisas pequenas de dentro de casa, para com o dinheiro poder sustentar seu vício.  Ele realmente não se achava viciado.  Dizia que poderia parar assim que decidisse fazê-lo, mas ele não tinha ideia de quanto os novos falsos amigos haviam se apoderado dele! As notas na escola caíram, e tudo o que ele queria fazer agora era dormir e ficar com a sua turma.  Nada mais lhe importava! Estava cansado de tentar resolver o que achava não ter forças para enfrentar.  Era melhor viver como um lunático ou buscar a morte para fugir da dor. Seus ouvidos estavam surdos à voz da sabedoria.  Ele achava que tinha que caminhar por si mesmo.

A Bíblia nos adverte quanto às más escolhas que podemos fazer, e suas consequências: “Meu filho, não se ponha a caminho com eles; fique com os seus pés longe das suas veredas! (…) Porque odiaram o conhecimento e não preferiram o temor do Senhor, não quiseram o meu conselho e desprezaram toda a minha repreensão.  Portanto, comerão do fruto da sua conduta e dos seus próprios conselhos se fartarão.  Os ingênuos são mortos porque se desviam da sabedoria; os tolos são destruídos por estarem satisfeitos consigo mesmos.  Mas o que me der ouvidos habitará seguro, tranquilo e sem temor do mal”. Provérbios 1:10-15, 29-33

Foi quando ele ouviu, vindo de algum lugar que nem bem podia se lembrar, um convite que o atraiu: “Venham a mim todos vocês que estão cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei…” Mateus 11:28.

Alexandre se entregou a este Jesus, chorando e confessando seus pecados e tentativas de procurar resolver tudo sozinho. Contou-Lhe que não tinha mais forças para caminhar sobre tantas pedras que se atravessavam em seu caminho, e que sem a Sua ajuda, não conseguiria mais viver. De imediato experimentou uma paz que nunca pensou existir. Ainda titubeante, decidiu investir e confiar.  Saiu das drogas, abandonou o álcool e encontrou uma nova vida.

Alguém que nos ama e é capaz de preencher nosso vazio interior

Talvez você, como eu, frequente uma igreja desde que nasceu. Por isso, não quero lhe falar sobre religião para resolver as crises de sua vida, pois esta não é a resposta. Quero lhe contar sobre uma Pessoa que conheci e que fez toda a diferença em minha vida, dando-me uma nova identidade, forças, alegria e razão para viver, mesmo quando as coisas não acontecem como eu quero. O abandono, a rejeição, o Bulliyng, as crises de identidade podem ser superadas com a ajuda do Deus de toda a consolação, que nos consola em toda a nossa angústia e depois utiliza as nossas vidas para ajudar outros que enfrentam situações semelhantes.

Uma nova identidade

Mesmo “pisando na bola” muitas vezes na vida, e sofrendo as agressões de outras pessoas que “pisaram na bola” para comigo, Jesus veio ao meu encontro, me abraçou e amou, sem que eu tivesse feito nada para merecer. Foi Ele quem me amou primeiro! Ele deu a Sua vida por mim e pagou por tudo que eu já fiz de errado, adotando-me na Sua família, como filha muito amada. Ele me disse que, mesmo que meus pais me abandonassem, Ele me acolheria. Ele é o marido das viúvas e pai dos órfãos. Ao confiar Nele como meu Salvador, dono da minha vida e do meu futuro, Jesus fez de mim uma nova criatura, dando-me um novo começo, em Suas mãos. Porque Ele me ama, tenho uma identidade: sou filha de Deus!

Você também pode ter esta nova identidade, ao entregar sua vida a Ele, aceitando o Seu presente: Jesus morreu em seu lugar, para que você tenha vida! Vida pra valer aqui, perdão dos seus pecados, alguém que ouve o seu choro e acolhe você com carinho e amor sem igual. Ele nos ajuda a viver aqui, dia a dia, e nos dá a certeza de um dia ir morar com Ele em Seu lar, no céu. Se você já o recebeu como Salvador, lembre-se que agora você tem um novo dono que o ama e cuida de você.  Nunca mais estará só! “Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum de nós morre para si.  Pois, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos.  De sorte que, quer vivamos quer morramos, somos do Senhor”. Romanos 14:7,8

Apesar de tudo, vale a pena viver!

Quando estiver com o coração pesado, com a mente confusa, com as emoções em queda, lembre-se de conversar com Aquele que quer caminhar com você em todos os seus caminhos, dirigindo seus passos, sustentando-o nas escarpas de vida e prometendo-lhe “Não tenha medo, que eu ajudo você!”

“Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece, e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas”. João 10:14,15

[1] Luana Fernandes, psicóloga e mestre em Saúde Pública da USP.

Obrigado por acompanhar nosso blog!
Conheça nossa igreja


Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.