Rev. Arival Dias Casimiro

A visão da Igreja Presbiteriana de Pinheiros é ser uma grande igreja missionária. E para que esta visão se concretize, cada membro precisa ser um missionário. Não adianta ter uma visão institucional. É preciso existir uma dedicação de cada membro da igreja, no sentido de agir em função dela. Uma visão levada à ação gera a nossa missão.

Deus nos tem abençoado dando-nos a visão da evangelização do mundo. A nossa tarefa primordial e intransferível é proclamar o evangelho de Jesus Cristo, e reunir os convertidos em Igrejas locais. Foi o próprio Jesus, Senhor da Igreja, quem definiu a tarefa de sua Igreja, na chamada “Grande Comissão” (Mt 28.18-20) A missão da Igreja é de natureza espiritual: pregar, batizar e ensinar. E esta só será realizada pela instrumentalidade do crente, na autoridade de Jesus e no poder do Espírito Santo (At 1.8).

  1. O QUE É EVANGELIZAR?

O Evangelho são os fatos históricos relacionados à pessoa e a obra de Jesus Cristo, segundo as Escrituras (1Co 15.1-8). A verdade do Evangelho resume a morte, o sepultamento e a ressurreição de Cristo. O Evangelho é Jesus e está na Palavra de Deus. Evangelizar é o ato de pregar o Evangelho a uma pessoa, com o objetivo de conduzi-la a Cristo. Quando pregamos a Jesus, possibilitamos ao Espírito Santo a oportunidade de promover a conversão de quem ouve. É o Espírito quem convence a pessoa do seu pecado e a leva a confiar na justiça de Cristo.

  1. QUAIS AS MOTIVAÇÕES PARA EU EVANGELIZAR ALGUÉM?

2.1. A MINHA IDENTIDADE EM CRISTO. Jesus diz que cada cristão verdadeiro é a “luz do mundo” (Mt 5.14). A luz não pode ser escondida ou desviada da sua razão de existir, que é iluminar ou brilhar. Não é possível ser cristão de forma oculta. Pedro disse: nós não podemos deixar de falar das cousas que vimos e ouvimos (At 4.20). O cristão verdadeiro não pode deixar de falar de Jesus.

2.2. A MINHA OBEDIÊNCIA A PALAVRA. Jesus deu um mandamento missionário à Igreja: Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura (Mc 16.15). Estamos diante de uma ordem divina. E mandamento divino não se discute, cumpre-se. Não é uma opção, mas uma ordem a ser cumprida. O crente que não evangeliza comete os pecados da omissão e da desobediência. Uma igreja que não evangeliza se fossiliza.

2.3. A MINHA RESPONSABILIDADE. O apóstolo Paulo resume bem esta motivação: Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho! (1Co 9.16). Paulo estava sob o peso da responsabilidade ou da obrigação e seria julgado pesadamente se não cumprisse. A expressão “ai de mim” evoca o lamento dos profetas do Antigo Testamento, quando anunciavam o julgamento de Deus (Is 5.8-30). Pesa sobre a igreja a responsabilidade de pregar o evangelho, a tempo e fora de tempo, a toda criatura.

2.4. O MEU AMOR A CRISTO. O amor a Jesus é a motivação maior para a evangelização. O amor de Cristo nos constrange a amá-lo e a vivermos para Ele. C. T. Studd disse: “Se Jesus Cristo é Deus e morreu por mim, então nenhum sacrifício pode ser grande demais para que eu o faça por ele”. Paulo declara: Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como vossos servos, por amor de Jesus (2Co 4.5). Somos servos por amor! E o amor motiva-nos a pregar a Cristo àqueles que estão nas trevas.

Irmãos, a missão da Igreja é missões. Vamos evangelizar! O dono da Igreja já definiu a nossa missão.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário